9 de fev de 2007

"Causando" na Fogo de Chão

Depois de três longos anos planejando, cumprimos a tão esperada promessa de conhecer a churrascaria Fogo de Chão.

Eleita detentora do melhor churrasco de São Paulo pela Veja, Gula, entre outras, e sempre muito bem cotada no meio gourmet, a Fogo de Chão tem como proposta a fidelidade ao autêntico churrasco gaúcho. Com cinco unidades no Brasil e oito nos Estados Unidos, a churrascaria agrada muito aos turistas estrangeiros, especialmente os da terra do Tio San.

A decoração é exuberante (inclusive com carpete no chão, coisa que nunca tínhamos visto em outros restaurantes!), os garçons vestem trajes típicos e há uma imensa adega cercando toda a área do salão principal.

Por R$ 65, o rodízio oferece picanha, bife ancho, fraldinha e diversos outros cortes nobres. A carne é gostosa, mas nada de espetacular. Achamos, inclusive, que em alguns cortes faltava sal.
A mesa de saladas é básica, apenas um pouco mais “arrumadinha”, o que a faz parecer luxuosa.

A caipirinha, bebida mais apreciada pelos “gringos”, é servida em copo pequeno e sua versão com saquê sai pela bagatela de R$ 19.

Um fato curioso foi prestar um pouco de atenção nas pessoas presentes e ver que a grande maioria parecia estar uniformizada: vestidos e jóias para as mulheres; calça, camisa (ou pólo) e mocacim para os homens. Em seus pratos também não se via a tradicional fartura da comida brasileira.
O almoço foi bom, mas já comi em churrascarias mais simples, inclusive na região Sul, com preços muito menores e qualidade igual ou superior a apresentada pela Fogo de Chão.
Mas não pense você que tivemos um almoço indigesto, ao contrário, ele foi muito divertido! É que logo na chegada à churrascaria, o Fernando não conseguiu disfarçar a ansiedade de finalmente estar ali e “causou” (como ele mesmo costuma dizer”) uma cena muito engraçada, um verdadeiro “mico”, usando a linguagem popular. No saguão de entrada há uma mesa com alguns sofás e em um deles estavam sentadas duas moças, que petiscavam castanhas servidas especialmente para elas. Quando o Fernando entrou, a primeira coisa que fez, antes mesmo de cumprimentar o garçom, foi ir direto ao pote de castanhas para pegar algumas. Gentil, como sempre, ainda fez questão de me oferecer! Foi aí que os elegantes e refinados garçons da churrascaria caíram no riso, mas nem assim o ladrão de castanhas percebeu o motivo de tamanha alegria.
Isso me rendeu uma ótima história para contar pros netos, além da oportunidade de rir durante o almoço um tanto quanto sem sal.
Na hora de ir embora, a conta chegou com duas drágeas de chocolate de menta. Na saída, um daqueles garçons risonhos trouxe um punhado dessas drágeas e entregou para o Fernando. Acho que essa foi a forma que ele encontrou de evitar mais um furto e precisar chamar os seguranças...
E aí que tudo isso me lembrou aquele comercial da Master Card: caipirinha de saquê, R$ 19. Rodízio por pessoa, R$ 65. Causar dentro da churrascaria preferida da elite paulistana, não tem preço!

Sugestão do chef: Termine com a Homenagem ao Porto, um delicioso mousse de chocolate crocante com recheio de vinho do Porto e molho nougat. A sobremesa vem coberta de pó de ouro e acompanhada de uma taça de vinho do Porto.


Fogo de chão: Av. dos Bandeirantes, 538 – Brooklin – São Paulo – SP – Tel: (11) 5505-0791 – Site: www.fogodechao.com.br

4 comentários:

  1. Jorge Bernardes3/6/07 22:46

    Jardineira Grill, quase em frente, é muito mais pelo mesmo preço.
    Não fico com vontade de voltar ao Fogo de Chão. Achei decepcionante.

    ResponderExcluir
  2. Jorge Bernardes3/6/07 22:46

    Jardineira Grill, quase em frente, é muito mais pelo mesmo preço.
    Não fico com vontade de voltar ao Fogo de Chão. Achei decepcionante.

    ResponderExcluir
  3. Não duvidamos, Jorge. Deveríamos é ter ido direto pra lá, isso sim.

    abs.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo1/6/08 11:57

    Vocês sacramentaram uma opinião que vinha se formando.
    Após ler alguns comentários, e conversar com pessoas que já foram. O meu desejo de conhecer a Fogo vai ser, em muito, postergado. Eu já sabia, e até aceitava, a proposta do buffet, a estrela do restaurante é a carne e o buffet deve acompanhá-la com, somente, as opções mais adequadas ao churrasco "gaúcho".
    Mas a questão custo/benefício, no que tange as carnes servidas me desanimou.
    No meu aniversário vou tentar outra opção, talvez a Ponteio, lugar que eu fui algumas veze qdo garoto e tenho boas lembranças.

    um abraço a vcs
    alexandre

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails