5 de dez de 2007

Bebidas asiáticas

Como bem disse o Tony no comentário do post sobre a Liberdade, eu e o Fernando ficamos descontrolados dentro dos supermercados e mercearias do bairro oriental. Mas não é pra menos. Dá pra passar horas nesses lugares descobrindo novos sabores, produtos e curiosidades. Difícil é não sair comprando tudo que se vê pela frente.
Depois de olharmos bastante coisa, decidimos levar algumas bebidas, todas em média R$ 3.
Confira o nosso parecer – singelo e pouco aprofundado – sobre cada uma delas.

Bebida de batata d’água com cana e cenoura
Origem: China
Quando despejamos o conteúdo da latinha em um copo, tivemos uma surpresa: pedaços de cenoura, cana e batata d’água complementavam a bebida. Foi estranho.

A batata tinha textura de maçã e a cenoura perdeu seu gosto. O líquido lembra caldo de cana – inclusive no aroma – com menor concentração de açúcar e leve sabor de batata doce. No geral, não nos agradou. Não é parecido com nada que conhecemos aqui no Brasil.


Suco de Lichia
Origem: Malásia

Diferente dos sucos de lichia feitos por aqui a partir da fruta in natura, esse apresenta sabor marcante e refrescante, que se assemelha um pouco com o suco natural de pêssego. Uma delícia!



Suco de Lichia com pedaços de coco
Origem: Taiwan

O cheiro e o sabor da lichia prevalecem. Já o coco só foi notado nos pequenos pedaços, que, por sinal, ficaram tão hidratados que pareciam gelatina. Não é tão bom quanto o suco de Lichia citado anteriormente.



Grass Jelly Drink e Honey Herbal Jelly (bebidas com gelatina)
Origem: China
Estão mais para chá gelado do que para suco. Apresentam bastante espuma e têm gosto de chá mate com sutil sabor de caldo de cana no final. A cor é de refrigerante tipo cola e o aroma bem semelhante ao da bebida de batata d’água. Os pedaços de gelatina se concentram no fundo do copo.



Suco de abacaxi com pedaços da fruta
Origem: Coréia do Sul

De cara percebemos que não tem cheiro de abacaxi. Aliás, o aroma não é lá muito agradável. A bebida é ácida e o gosto de conservantes é acentuado.



Suco de uva verde com pedaços da fruta
Origem: Coréia do Sul

É o nosso suco preferido junto com o de lichia. O sabor se assemelha à polpa natural de uva verde. Não é muito doce e os pedaços da fruta são generosos.

De todas as bebidas, esta é a mais fácil de ser encontrada em diversos estabelecimentos. Pena que a embalagem é pequena.



Suco de aloe vera (babosa) e uva verde
Origem: Japão

Aroma e sabor marcantes de uva. Não se percebe o gosto de aloe vera – que não sabemos qual é – nem em seus finos e pequenos pedaços. É tão gostoso quanto o suco de uva verde – talvez por parecer muito com ele –, mas acreditamos ser diferente de outras bebidas de aloe. Da próxima vez vamos optar por um suco dessa planta sem qualquer mistura.



Tsingtao – Cerveja Pilsen
Origem: China

Pouco (ou nada) encorpada e quase sem espuma. O amargor é sutil e lembra, de longe, algumas pilsen nacionais de qualidade razoável. Não fez sucesso.


Sugestão do chef: além da Liberdade, esses produtos são encontrados em alguns empórios da região da 25 de Março e em outros pontos da cidade, como uma loja instalada no Conjunto Nacional, na Av. Paulista.

11 comentários:

  1. Gente! Então enquanto a gente comprava salgadinhos vocês andavam arrasando com as bebidas? A matéria ficou muito boa. Aqui ainda não abrimos o suco de lichia, é bom saber que nos aguarda uma delícia!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Adorei as latinhas. Essas eu encararia...Mas a bebida de batata e cenoura...Essa eu correria na hora. Hehehehe.

    Vcs tão me torturando com essas bandas na Liberdade. Tô louco pra fazer um tour desses por aí.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Tony, no próximo passeio pela Liberdade queremos fazer o mesmo com salgadinhos. O melhor suco de lichia foi esse que publicamos. Compramos um outro, de uma marca diferente que não lembramos o nome, que não era muito bom, tinha sabor artificial.

    Diego, as latinhas são diferentes inclusive na qualidade. Foi difícil amassá-las. Quando vier de novo pra cá, tente incluir a Liberdade em seu roteiro. Tem muita coisa legal por lá.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Já algumas dessas bebidas por lá. A de uva eu gosto e da de aloe achei diferente.
    Gosto de passear pela Liba, ainda quero conhcer outros produtos e lugares mais "obscuros" do bairro. rsrs
    Um amigo meu bebeu uma cerveja na China (não sei o nome) e disse que era a pior do mundo. Fiquei curiosa em experimentar esta pior do mundo. A mais horrível até hj foi uma húngara.

    bjo,
    Nina.

    ResponderExcluir
  5. Estou amando suas dicas...
    Realmento a Liberdade deixa qualquer um louco (e sem dinheiro) :]
    Ter postado o que achou nos ajuda muito a nos 'controlar'..rs..
    Obrigada por compartilhar, tá?!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  6. Muito legal o post!

    Estou vendo que tenho companhia quando o assunto é experimentar coisas pouco comuns. Bebidas, eu testo todas, mas gostar do que provei já é outro assunto.

    Me lembro de um Fanta Melão que tomei há uns 15 anos na Tailândia..não vale o repeteco.. Pepsi Vanila no Japão, também não vale...

    Um abraço

    ResponderExcluir
  7. Olá Debora e Fernando! Aqui é a Patsy deixando um recadinho!! Adorei conhecê-los e já adorava esse cantinho, mas esses sucos doidos, tem que ter coragem heim, sabe quanto tempo ficam a bordo de um navio para chegar? Mais de um mês e mais quase um mês para liberação na alfândega, e mais dias para distribuição interna, muito tempo!!!!! :D

    ResponderExcluir
  8. Nina, onde seu amigo comprou essa cerveja? Foi aqui em Sampa? Também ficamos curiosos.

    Vinni, que legal que gosta das nossas dicas! Passe sempre por aqui. Provar todas as bebidas foi uma grande brincadeira para nós e a intenção do blog é sempre tornar público nossa opinião sobre boa parte dos lugares que conhecemos e das coisas que provamos.

    Rodrigo, obrigado! Não pensamos duas vezes em provar novas coisas – estranhas ou não. Mas, como você, nem sempre gostamos de todas elas. Queríamos experimentar o refrigerante de pepino que é vendido no Japão, nos meses de verão. Não deve ser muito bom, mas, no mínimo, curioso.

    Patsy, adoramos conhecer você, foi uma noite muito divertida! Nossa, não imaginávamos que a importação fosse tão demorada. Ainda bem que temos o hábito de olhar a validade de tudo! Você sabe como fazem para importar os sorvetes Coreanos que viraram moda na Liberdade?

    Abraços,
    Débora e Fernando

    ResponderExcluir
  9. Débora e Fernando,

    Pelo que fiquei sabendo esse refrigerante de pepino da Pepsi, não tem nada de sabor de pepino. Parece que o japoneses associam o frescor ao pepino como nós associamos com a menta ou limão.

    Mas parece que ele vai ter uma produção limitada ao verão...

    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Debora e Fernando, os sorvestes devem ser mais rápidos pelo menos na liberação, o trânsito por navio é o mesmo e eles são carregados em container reefer, com controle de temperatura, ahhh... não derrete não, e quando chega é tratamento de carga perecível, mais rapidinho, mas isso deve levar uns 50 dias aprox. hehehe. :)

    ResponderExcluir
  11. Rodrigo, deve ser interessante, gostaríamos de provar. Pena que ele não chega aqui nas nossas bandas.

    Patsy, que coisa! O processo é lento mesmo. Mas pelo menos eles não derretem no caminho! rs

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails