3 de mar de 2010

Um pouco de tudo em Palermo

Palermo, o maior bairro de Buenos Aires, é um lugar difícil de definir. Dependendo do olhar – e da parte visitada – pode ser o local dos bares movimentados, das lojas de grife, da gastronomia elaborada, do design, dos descolados...
Para quem está na divisão conhecida como Palermo Chico, é mais fácil que seja o bairro das mansões espetaculares, boa parte delas servindo de sede para embaixadas.

Outra opção, ainda mais provável, é que a região seja definida pelos seus parques e bosques. E nada mais justo do que isso.
A começar pelo Jardim Botânico. Impossível não esquecer do tempo nas agradáveis alamedas, cobertas por quase seis mil plantas.

Ainda mais se você gostar tanto de gatos quanto a Débora. São dezenas deles, de todas as cores! E não querem nem saber de ficar escondidos. Chegam perto mesmo, meio que implorando um pouco de atenção.

Ao sair de lá, basta atravessar a avenida pra chegar ao Zoo. Lugar simpático onde, além dos animais presos, é possível “interagir” com alguns bichos que ficam soltos, como o ratão-do-banhado, cuja numerosa presença equivale a dos gatos no Botânico. Lá a entrada é cobrada – 22 pesos para ver todas as atrações.

A mesma região abriga outra área verde que vale uma visita, o Jardim Japonês. Paga-se uma taxa de cinco pesos para ter acesso ao espaço, inaugurado no final da década de 60 e depois adaptado ao estilo dos jardins zen. O resultado é um lugar que transmite sensação de paz mesmo quando as condições meteorológicas começam a jogar contra.

Se sobrar disposição para uma caminhada, é possível seguir até a Plaza de las Naciones Unidas, onde fica a Floralis Genérica, aquela famosa flor esculpida em aço pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano. Dotada de um sistema fotoelétrico, a obra de 20 metros abre suas pétalas pela manhã e as fecha no fim do dia. Apesar de muito próxima dos bosques de Palermo, está em uma área pertencente ao bairro da Recoleta.

Nesse dia dedicado aos parques, decidimos almoçar na parte conhecida como Palermo Soho, mais distante dos bosques e assim chamada pela semelhança com o homônimo nova-iorquino. Lembra um pouco o bairro dos Jardins, aqui em São Paulo, sobretudo pela concentração de restaurantes pretensiosos e de lojas elegantes.
Matamos a fome no pequeno e aconchegante Caldén del Soho, cujo cardápio destaca amplamente as carnes típicas.

Eu ainda dava os primeiros goles na minha Quilmes e beliscava o couvert quando a Débora já se decidia pelo Lomo Pampa (45 pesos). Ótimo medalhão ao molho de vinho tinto, com cogumelos, salada de folhas e uma maravilhosa provoleta envolta em massa filo. Demais!

Louco pra continuar minha incursão pelo mundo das carnes argentinas, pedi logo um asado de tira (costela, vendida por 34 pesos). E só percebi o que tinha feito quando o garçom se aproximou: o corte, como podem ver, era imenso!
Mas encarei mesmo assim, acompanhado de molho chimi-churri e vinagrete, além do desnecessário purê de abóbora que havia pedido (12 pesos).

Dei conta porque a carne estava mesmo muito boa.
Ainda dividimos um pudim de pão com maçãs carameladas chamado de Budín Caldén (12 pesos). Esse, totalmente sem graça, destoou completamente do restante do almoço e de tudo o que fizemos naquele dia.


Sugestão do chef: Em boa parte das churrascarias argentinas, a carne é servida com menos sal do que estamos acostumados aqui no Brasil. Talvez por eles não utilizarem sal grosso. No Caldén, essa diferença ficou bem perceptível, o que pode desagradar aqueles que não abrem mão de uma carne mais salgada.

Caldén del Soho: Honduras, 4701, esquina com Malabia – Palermo – Buenos Aires – Argentina. Tel,: (54 11) 4833-2221. E-mail: caldendelsoho@gmail.com
Jardín Botánico: Av. Santa Fe, 3.951 – Palermo – Buenos Aires – Argentina. Tel.: (54 11) 4831-4527
Zoo Buenos Aires: Entre Av. Sarmiento e Av. Las Heras – Palermo – Buenos Aires – Argentina.
Tel.: (54 11) 4011-9900
Jardín Japonês: Entre Av. Figueroa Alcorta e Av. Casares – Palermo – Buenos Aires – Argentina. Tel.: (54 11) 4800-1322
Floralis Genérica: Entre Av. Figueroa Alcorta e Calle Áustria

5 comentários:

  1. Gente, amei as fotos desse post, lindas! Estou louca para voltar a Bs As, faz muitos anos que conheci! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Essas carnes me deixaram salivando, mesmo depois do almoço! E essa área de parques e jardins de Palermo é uma das minhas preferidas, delícia.
    Estou adorando os posts, meninos!

    ResponderExcluir
  3. Luana,

    Com um cenário desses, era obrigação caprichar nas fotos! rs

    Emilia,

    Adoramos os parques de Palermo, que lugar!

    ResponderExcluir
  4. Morei 2 anos em Buenos Aires e realmente a cidade tem muito a oferecer aos amantes da Gastronomia. Conheci muitos lugares e passei por bons e maus momentos. Quem ainda não foi, precisa conhecer Buenos Aires. É um lugar que deve fazer parte do roteiro de viagem de qualquer pessoa, não só pela gastronomia, mas também pela cultura, arte, arquitetura.
    Adorei o blog Brincando de Chef. Parabéns ao criador!

    ResponderExcluir
  5. Oi Debora, conheci o blog de vocês atraves do Guilherme do Emporio Sao Pedro, o texto é otimo e as fotos também... mas adorei a parte dos gatos... também sou apaixonada por eles.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails