8 de fev de 2011

A cozinha-arte do Maní

Datas especiais merecem lugares especiais. Pelo menos é isso o que acontece em todas as nossas celebrações.
Chegamos ao Maní por volta das 13h de um domingo e não ficamos nem dez minutos na fila de espera. Mas demos sorte. Pouco tempo depois o simpático corredor com vista para a cozinha estava lotado.

Por trás da data especial que envolvia a nossa comemoração, havia uma enorme expectativa em relação ao trabalho executado pela “pareja” de chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo.
A decoração de extremo bom gosto mescla itens rústicos, despojados, finos e retrôs. O ambiente é muito agradável e acolhedor, certamente preparado para os visitantes sentirem vontade de ficar horas por lá.
Queijo de cabra com pimenta rosa, coalhada seca, manteiga com flor de sal e ótimos pães quentinhos foram a nossa primeira boa impressão em relação à comida do local. Mas o melhor do couvert (R$ 12 por pessoa) foi a placa de biscoito de polvilho, uma espécie de gostinho "casa da vó" para adultos.

O drink sem álcool Zero Zero – abacaxi, limão, hortelã e soda (R$ 15) – não empolgou tanto quanto a combinação simples de espumante e frutas vermelhas do Kir Maní (R$ 21).

E eis que chegaram os pratos principais, ou melhor, as obras de arte em forma de comida. Que apresentação linda!
O Peixe do dia a baixa temperatura no Tucupi com Banana da terra e migalhas do Maní (R$ 61), trazia ingredientes brasileiros apresentados de forma única e criativa. Gostamos muito de provar o tucupi servido como uma espuma no estilo Ferran Adrià. Conseguimos sentir claramente o sabor de cada ingrediente, mesmo dos mais delicados.

Aprovado também foi o Atum levemente grelhado com Quinua, Chutney de Amoras, Espuma de Gengibre e Shissô (R$ 66). Peixe cozido no ponto certo, quinua soltinha, espuma de gengibre saborosa, cremosa e consistente. E o que dizer do chutney de amoras? Espetacular!

Foi bem difícil escolher a sobremesa pois todas as propostas são muito interessantes. Inclusive, precisamos voltar ao Maní apenas para experimentar todas as opções doces do cardápio.
Decidimos conhecer a versão elaborada para o tradicional Açaí, que no Maní é feita com banana nanica, gelatina de guaraná, farofa de aveia, marshmallow de açúcar mascavo, raspadinha de morango e sorvete de açaí (R$ 18). Sobremesa original, colorida, leve e bem exótica.

Ficamos curiosos para saber como seria um doce cujo nome é "O Ovo" (R$ 18). Resultado: gostamos muito do sorvete de gemada com espuma de coco e coquinhos crocantes.

Para finalizar nosso almoço artístico, cafezinho Nespresso (R$ 5,80) e a conta.

Claro que a experiência não saiu barata, mas o custo-benefício foi muito positivo. Comida caprichada, saborosa e visualmente atrativa, ingredientes de alta qualidade, atendimento gentil e eficiente. Aliás, não deve ser nada barato manter toda aquela quantidade de garçons.
O Maní não é um restaurante que podemos frequentar em intervalos curtos, mas afirmamos que ele está na lista dos lugares especiais para voltarmos quando a vida nos presentear com boas e grandiosas surpresas.

Sugestão do chef: o Manioca é o espaço para eventos do Maní, em funcionamento ao lado do restaurante. Apesar de pequeno, o ambiente é lindo e tem uma agradável área ao ar livre.

Maní: Rua Joaquim Antunes, 210 – Jardim Paulistano – São Paulo – SP – Tel.: (11) 3085-4148

10 comentários:

  1. Vim te conhecer e adorei suas postagens... Já vou te seguir. Venha me conhecer tb.
    Que fotos, hein?
    Bj
    Deborah

    www.delicias1001.com.br

    ResponderExcluir
  2. O Mani é realmente imperdível. Vale muito a pena o menu degustação.
    Parabéns pela forma que passaram essa refeição

    ResponderExcluir
  3. Hummm o mani esta na minha listinha de lugares pra comer quando ir a SP, agora então mais do que nunca!!!

    Adorei...

    ResponderExcluir
  4. Fiquei babando nesse menu! O mani é muito bom mesmo. Uma delicia surpreender-se com o visual e o sabor! As fotos tambem ficaram otimas. Parabens. Eymard.

    ResponderExcluir
  5. Acabei de conhecer o blog de você e gostei bastante. Por isso o inclui nos links do Blogs de Culinária em "Dicas sobre restaurantes e onde comer"
    abçs

    ResponderExcluir
  6. Gente, achei um tesouro, vou te seguir pra compartilhar ideias, eu to começando agora um blog se chama Delícias da bota
    me visita

    http://deliciasdabota.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. O Mani é uma delícia.
    Só o couvert já vale a viagem $$$$.
    Acho que eles precisam abrir uma filial no Tatuapé, né não?
    Foi uma belíssima escolha.

    ResponderExcluir
  8. Olá, gostei muito do seu blog.
    Este restaurante parece ser imperdível!
    Estou te seguindo! Passa no meu blog tb, é novo ainda mais seria muito bom ter a sua visita e sua opinião sobre os posts.

    www.cdrgastronomia.blogspot.com

    Grande abraço

    Piero (3)

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito do Mani, vou sempre que posso -embora não seja um entusiasta do que alcunharam de culinária tecnoemocional.Mas só o talharin de pupunha que comi algumas vezes (mania de repetir bons pratos...)já coloca Helena Rizzo num outro patamar. Abs!

    ResponderExcluir
  10. Obrigado por todos os comentários desse post, o Mani vale a visita, realmente.

    Edu,

    Tem razão, falta o Mani no pólo gastronômico do Tatuapé (ops, me empolguei... rs). De qualquer forma, precisamos marcar algo na região (ou fora), certo??

    abraços,

    Fernando

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails