22 de out de 2009

SPRW: AK Delicatessen

Depois de algumas semanas sem tempo de escrever, vamos retomar a última edição da SPRW.
Antes, preciso dizer que este post será uma exceção aos costumes do blog. Quem é leitor sabe que eu e o Fernando visitamos juntos os estabelecimentos que aparecem por aqui. Mas, dessa vez, como tenho a sorte de trabalhar bem pertinho do AK Delicatessen, aproveitei o evento para almoçar lá com alguns colegas do escritório, já que o Fernando não conseguiu conciliar sua agenda.
Reservamos a mesa com mais de uma semana de antecedência e um dia antes recebemos uma ligação para confirmar a reserva.
Fomos os primeiros a chegar e, em pouco tempo, o salão principal estava cheio e a fila de espera, bem longa.

A escolha das entradas não foi das mais rápidas, pois todas as combinações pareciam muito apetitosas. Eu fiquei com as Berinjelas Singelas (berinjelas chamuscadas servidas com tahine, tomates, hortelã, raspas de limão e mel de romã) – de singelas não tinham nada! A porção foi generosas e a combinação com o mel de romã deixou o prato muito interessante.

O restante do pessoal se dividiu entre Gravlax de Salmão (fatias de salmão marinado, salada de batata especial e folhas verdes) e Consomê com Kreplach de Carne (caldo de frango e carne com capeletti judaico).

A demora para definir a entrada foi compensada com o unânime pedido do prato principal: Bourguignon de Cordeiro com Sptzel, Coalhada e Cebolas fritas (cordeiro cozido lentamente em vinho, servido com típico nhoque, coalhada caseira e cebolas fritas).

A carne estava macia e perfumada, e o azedinho da coalhada ressaltou ainda mais seu sabor.
Das sobremesas, achei o Crepe de Nutella com creme de chocolate e crocante de nozes gostoso, mas um pouco modesto comparado ao Merengue de morango com chantilly, suspiro e calda de frutas vermelhas.

Parabéns à chef Andrea Kaufmann por levar tão a sério a SPRW e proporcionar aos clientes pratos elaborados e bem-servidos. Não foi por acaso que o AK Delicatessen ganhou o prêmio Brincando de Chef como o melhor de 2008.
E por tudo isso, ultrapassamos nosso horário de almoço. Mas como saímos satisfeitos e felizes, relevamos a bronca.

Sugestão do chef: durante toda a SPRW, no período do almoço, o local montou um cardápio de bebidas alcoólicas com preços mais atrativos.

AK Delicatessen: Rua Mato Grosso, 450 – Higienópolis – São Paulo – SP – Tel.: (11) 3231-4497

19 de out de 2009

Happy Hour no GNT

Vai ao ar nesta terça-feira (20/10) depoimento que gravamos para o programa Happy Hour, apresentado pela Astrid Fontenelle no canal GNT. Falamos da nossa relação com a gastronomia e da forma como buscamos conhecer a culinária de diferentes lugares. Começa às 19 horas.

4 de out de 2009

250 anos de Guinness

Em 1759, os irlandeses já bebiam Guinness. Passados dois séculos e meio, a lendária marca de cerveja é encontrada em 155 países de todos os continentes, sendo, inclusive, líder de mercado em locais improváveis como a Nigéria. Feitos dignos do Guiness Book, que, aliás, surgiu em 1951 por ideia de um diretor da cervejaria.
Estivemos em um dos eventos em comemoração ao aniversário da marca, na última segunda-feira no sempre agradável Drake’s Bar & Deck. Fomos a convite da assessoria de imprensa da Boxer do Brasil, importadora de cervejas do tipo ale e uma das distribuidoras do chope Guinness.

Com apresentação do cervejólogo e blogueiro Edu Passarelli, foram servidas à imprensa as três integrantes do portfólio da cervejaria de Dublin.
De início, saboreamos alguns bons tarteletes de queijo de cabra com tomate confitado.

Até que nossos copos foram preenchidos com a Harp, uma lager leve, refrescante e com boa formação de espuma que, curiosamente, ficou concentrada no fundo do copo.

Foi acompanhada de salmão defumado com ovo de codorna e purê de maçã. Com a comida, o leve amargor do lúpulo ficou um pouco mais acentuado.

A noite seguiu com a Kilkenny, uma deliciosa irish red ale sabor e aroma frutados e maior presença de amargor.

A coloração avermelhada garantiu um belo visual, além de ter harmonizado bem com as samosas (pastéis indianos) de frango com legumes e curry, servidas com chutney. Foi a melhor iguaria da noite!

Faltava, claro, a dona da festa. A stout mais famosa do planeta chegou acompanhada de um cozido de carne com ostras e a própria cerveja. Um prato de sabor bem intenso, desenvolvido pelo chef Greigor Caisley, do Drake’s – responsável por todos os comes da noite.

Mesmo conhecendo a bebida há tempos, acho sempre interessante observar uma pint com aquele líquido escuro contrastando com a espuma clara. Em termos de sabor, é difícil ficar indiferente a essa cerveja tão emblemática. A Débora ainda torce o nariz. Eu gosto muito mesmo, apesar de reconhecer que não é exatamente a cerveja que se espera beber em um dia de calor, principalmente por causa do amargor intenso. Ela é para os dias em que se está a fim de beber uma... Guinness. E, quando isso acontece, dificilmente outra bebida agradará.
Antes de voltar pra casa ainda repetimos algumas vezes o sorvete de Guinness, presente no cardápio regular do Drake’s.

Foi, sem dúvida, uma ótima maneira de começar a semana. E também uma boa ocasião para desejar vida (ainda mais) longa a uma bebida tão peculiar.

Sugestão do chef: Guiness é tradicionalmente servida nas pints de 568 ml. O cervejólogo Edu Passarelli explica que a melhor forma de tirar o chope é inclinar a 45 graus um copo totalmente seco e servir até o líquido ficar um pouco acima da marca da cerveja, estampada nos copos oficiais. Um minutos depois, complete com o creme para formar a famosa cascata de espuma. Já a versão em lata, vendida em empórios e supermercados, traz uma cápsula de nitrogênio responsável por liberar o gás no momento da abertura. Na hora de servir, a dica é virar de uma vez no copo, para um visual mais parecido com o do chope.


Drake’s Bar & Deck: Rua Tucambira, 163 – Pinheiros – São Paulo – SP – Tel.: (11) 3031-3320
Related Posts with Thumbnails